Festival Vamos Fazer Poesia!

 

 

 

APRESENTAÇÃO:

 

O Festival Vamos Fazer Poesia foi criado pelo Poeta e  Produtor Cultural Iranildo Marques, na cidade de Serra Talhada-PE, em 2014, juntamente com a Produtora Cultural EVANIA PEREIRA NOGUEIRA, com a finalidade de resgatar, incentivar e divulgar os poetas glosadores, (o chamado poeta de bancada), que não faz o verso de improviso, mas, que entende e faz as DÉCIMAS metrificadas.

O Festival Vamos Fazer Poesia, consta de uma divulgação nas redes sociais, onde os produtores, através de grupos de WattsApp,  Facebook e Instagran, selecionam poetas, realizando uma pré-inscrição. Estabelece 03 MOTES que serão glosados e estipulam um prazo para a devida inscrição, onde o poeta terá que enviar através de um e-mail pré-estabelecido, 03 Décimas com os MOTES GLOSADOS e que terão que ser inéditos e sem divulgação dos mesmos em redes sociais, antes do resultado do Festival, sob pena de desclassificação do poeta.

Salientando que esse Festival é o único no gênero no Brasil, foi criado e cresce a cada ano e estamos tentando inscrevê-lo no GUINNESS BOOK como o maior Festival de Poesias do Mundo.

Centenas de poetas foram revelados nas suas 6 edições que acontecem sempre no último sábado de abril de cada ano.

Na abertura do evento acontece a apresentação de uma dupla de viola que fica se apresentando a cada 10 poetas glosadores que declamam suas DÉCIMAS.

Um poeta também é homenageado em vida e outro que já partiu, através de uma homenagem póstuma.

Todos os participantes inscritos no Festival, participam de uma Coletânea contendo suas 03 glosas e uma apresentação através de uma pequena biografia. Concretizando 02 páginas da referida coletânea.

A Coletânea é lançada no dia do Festival e todos os poetas participantes, recebem um exemplar da obra com 300 páginas.

 

Da Inscrição:

Cada poeta inscrito envia seu trabalho, (03 glosas) e autoriza a publicação do seu trabalho inédito na referida Coletânea, a título de contribuir com a divulgação e perpetuação da poesia popular.

Para concorrer, o poeta terá que estar presente no dia do evento, a sua ausência, implicará na desclassificação automática, cedendo a vaga ao poeta subsequente. Entretanto, participará da Coletânea, sem direito à premiação.

 

Da Premiação:

O Poeta vencedor do Festival receberá um cheque demonstrativo que lhe dará direito de publicar a sua obra inédita. Serão 500 exemplares da sua obra contendo 100 páginas.

O Poeta classificado em Segundo Lugar receberá um cheque demonstrativo que lhe dará direito a publicar 300 exemplares da sua obra inédita contendo 100 páginas.

O Poeta classificado em Terceiro Lugar, receberáum cheque demonstrativo que lhe dará direito de publicar 200 exemplares da sua obra inédita, contendo 100 páginas.

 

Os 20 primeiros poetas classificados receberão troféu.

Os 05 melhores declamadores do Festival também receberão troféu.

 

Da Homenagem:

Na ocasião do VII Festival Vamos Fazer Poesia, como em todos os anos, será escolhido um poeta de renome, e assim também um poeta será homenageado in memorian, e será escolhido pelos poetas através de um grupo de WattsApp, existente para esses assuntos.

 

Justificativa:

O Festival Vamos Fazer Poesia, ao longo das suas SEIS EDIÇÕES revelou e registrou através das SEIS COLETÂNEAS EDITADAS, centenas de poetas de todo o Brasil e mais especificamente do Nordeste.

 

O Primeiro Festival Vamos Fazer Poesia aconteceu em 2014, em Serra Talhada-PE e teve a participação de 51 poetas, envolvendo os Estados de PE, PB, CE e RN.

O poeta homenageado em vida foi o poeta Dedé Monteiro-(O Papa da Poesia e Patrimônio VIVO de Pernambuco) que foi uma atração à parte com as suas declamações.

E a homenagem póstuma foi para o poeta Zé de Mariano – Poeta de Tabira que faleceu de acidente naquele ano.

 

Na ocasião o poeta vencedor foi o poeta e compositor Rui Medeiros-Serra Talhada-PE.

O Segundo Festival Vamos Fazer Poesia aconteceu em Serra Talhada-PE em 2015 e teve a participação de 55 poetas, envolvendo os Estados de PE, PB, CE e RN.

O Poeta homenageado em vida foi: Chico Pedrosa, que esteve presente abrilhantando o evento com os seus causos na poesia matuta.

Na ocasião o poeta vencedor foi o poeta e compositor Rui Medeiros-Serra Talhada-PE.

 

O Terceiro Festival Vamos Fazer Poesia aconteceu em Serra Talhada-PE em 2016 e contou com a participação de 71 poetas, envolvendo os estados de PE, PB, CE, e RN.

O poeta homenageado em vida foi o repentista João Furiba, que se fez presente (mesmo numa cadeira de rodas com os seus 97 anos de idade). E a homenagem póstuma foi para o poeta repentista Pinto do Monteiro que foi parceiro de João Furiba em diversas cantorias no passado.

Na ocasião o poeta vencedor foi o poeta e compositor Rui Medeiros-Serra Talhada-PE.

 

O Quarto Festival Vamos Fazer Poesia aconteceu na cidade de São José do Belmonte-PE em 2017, e contou com a participação de 64 poetas, envolvendo os estados de: PE, PB, CE e RN.

O poeta homenageado em vida foi o grande Zé de Cazuza, que se fez presente abrilhantando a festa da poesia e a homenagem póstuma foi para José Lopes Neto, conhecido como Zé Catôta.

Na ocasião o poeta vencedor foi o poeta Ramon Medeiros-Patos-PB

 

O V Festival Vamos Fazer Poesia aconteceu na cidade de São José do Belmonte-PE em 2018 e contou com a participação de 102 poetas brasileiros, envolvendo os Estados de: PE, PB, RN, CE, AL, BA, SE, RO, MS.

O poeta homenageado foi o mestre Zé Adalberto do Caroço do Juá, que participou do evento declamando seus versos e a homenagem póstuma foi para o grande Zé Marcolino. Na ocasião a família esteve presente e foi realizado um grandioso show com o maior intérprete de Zé Marcolino, o cantor Chico Arruda de Sertânia-PE.

Na ocasião o poeta vencedor foi o poeta Marciano Medeiros-São Bento-RN

 

O VI FestivalVamos Fazer Poesia aconteceu em São José do Belmonte-PE, em 2019 e contou com a participação de 84 poetas dos estados de: PE, PB, CE, RN, AL, MS e RO.

O poeta homenageado foi o grande Repentista Ivanildo Vila Nova que se fez presente dando um show de viola juntamente com o poeta Diomedes Mariano e a homenagem póstuma foi para o poeta Francisco Maia de Queiroz, o poeta Louro Branco.

Na ocasião o poeta vencedor foi o poeta Luiz Gonzaga-Limoeiro do Norte-CE

 

O VII Festival Vamos Fazer Poesia aconteceria em São José do Belmonte-PE no Clube de Campo Rancho das Águas e contaria com aproximadamente 140 poetas glosadores envolvendo diversos estados da federação.

 

Do Festival

Serão escolhidos 03 motes que serão glosados e enviados para o e-mail festivalvamosfazerpoesia2020@gmail.com o qual terão que ser inéditos até a data do Festival, onde será lançada a VII Coletânea de Poesias. Na ocasião, uma banca julgadora composta por 05 jurados, irá escolher os 20 melhores poetas do ano e os 05 melhores poetas declamadores.

 

Da Premiação:

O Poeta VENCEDOR do Festival receberá um cheque ilustrativo que lhe dará direito de imprimir/editar 500 exemplares do seu livro individual de poesias ou crônicas ou contos, contendo 100 páginas e que será lançado no ano seguinte, quando da realização do VIII Festival.

O Poeta SEGUNDO COLOCADO do Festival receberá um cheque ilustrativo que lhe dará direito de imprimir/editar 300 exemplares do seu livro individual de poesias ou crônicas ou contos, contendo 100 páginas e que será lançado no ano seguinte, quando da realização do VIII Festival.

 

O Poeta TERCEIRO COLOCADO do Festival receberá um cheque ilustrativo que lhe dará direito de imprimir/editar 200 exemplares do seu livro individual de poesias ou crônicas ou contos, contendo 100 páginas e que será lançado no ano seguinte, quando da realização do VIII Festival.

 

Neste ano, o VII FESTIVAL VAMOS FAZER POESIA que iria acontecer no dia 25 de abril, foi impedido  de ser realizado, em decorrência da PANDEMIA, deixando os produtores culturais e poetas, prejudicados.

O evento é estimado em torno de R$ 150.000,00

 

DO CUSTO DO EVENTO:

– Produção do Evento  –  R$ 10.000,00

– 2.000 exemplares da Coletânea de Poesias (131 poetas) 300 páginas   –  R$ 44.000,00

– Jurados – R$ 2.000,00

– 500 exemplares (Premiação do Poeta Vencedor) – (Livro c/ 100 páginas – R$  7.000,00

– 300 exemplares (Premiação do Segundo lugar) – (Livro c/ 100 páginas – R$  5.000,00

– 200 exemplares (Premiação do Terceiro lugar) – (Livro c/ 100 páginas – R$  3.000,00

– Troféus para os classificados – R$ 2.000,00

– Aluguel do espaço (2 dias)  R$ 6.000,00

– Atrações: Violeiros/Repentistas  R$ 12.000,00

– Despesas de participação dos poetas presentes no evento  – R$ 30.000,00

– Som (2 dias)  –  R$ 4.000,00

– Ornamentação  – R$ 2.000,00

– Gravação de DVD  –  R$ 4.000,00

– Realização da Live – R$ 3.000,00

– Apresentador (2 dias) – R$ 2.000,00

– Fotografias (2 dias) / (2 fotógrafos) – R$ 2.000,00

– Divulgação em Blog  –  R$ 2.000,00

– Divulgação jornal impresso (4 páginas coloridas e Capa) –  R$ 10.000,00

 

 

EQUIPE PRINCIPAL / PRODUTORES CULTURAIS:

 

Pleiteando junto ao Governo do Estado de Pernambuco/Lei Aldir Blanc, os Produtores Culturais: Evânia Pereira Nogueira (Serra Talhada-PE), Iranildo Marques  (Serra Talhada-PE) e Américo Furtunato Gomes da Silva (Meca Moreno) – (Recife-PE), deste conceituado e consolidado evento, pretendem realizar através de uma grandiosa Live, o VII Festival Vamos Fazer Poesia com dezenas de poetas (de todo Brasil) presentes no maior Festival de Poesia Popular do mundo.

O evento acontecerá em Serra Talhada no dia 12 de dezembro com o lançamento da VII Coletânea de Poesias envolvendo mais de 130 poetas (LIVRO COM 300 PÁGINAS). Na ocasião, os poetas participantes declamarão suas estrofes e no dia seguinte, na cidade de São José do Belmonte, acontecerá a divulgação do resultado do festival, onde 20 poetas serão classificados e premiados com troféu e os 03 melhores, receberão o9 cheque ilustrativo para a publicação dos seus Livros individuais, conforme premiação descrita acima.

Cadeira 148: Graça Moura

Graça Moura

 

“ Creio no sorriso e nas lágrimas, como antídotos contra o ódio e o terror”(Charles Chaplin)

 

MARIA DAS GRAÇAS MOURA

Ela é Picoense, filha de Umari, um lugarzinho que fica a 5 km do Centro da cidade de Picos-Piau.

Fez o Primário e o Ensino Fundamental, no IMH-Instituto Monsenhor Hipólito, casa de onde saiu plena de sonhos e de desejo de realizá-los.O Ensino Médio foi concluído no Crato-Ceará com as FILHAS DO SANTA TERESA, no colégio Santa Teresinha de Jesus.E o Curso Superior, PSICOLOGIA, foi concluído na Universidade federal de Pernambuco.

Atuou como psicóloga em empresas públicas e privadas do Estado de Pernambuco, e seu último vínculo empregatício foi com o Lafepe-Laboratório Farmacêutico do Estado de Pernambuco. Aderiu ao Programa de Demissão Voluntária e voltou pra sua cidade natal, Picos-Piauí.

Mora em Umari e atua como Psicóloga Clínica, em Consultório Particular, sediado no Memorial Santa Luzia – Centro da cidade de Picos-Piauí.

Desenvolve trabalhos no Campo Motivacional e Desenvolvimento Pessoal e Profissional. Concursada em Campo Grande-Piauí, atua no CRAS local, comusuários dos Programas Sociais do Município.                                                               É Palestrante nas áreas de Desenvolvimento Profissional e Pessoal, abordando temas que vão de Relacionamentos Interpessoais à Depressão e Gerenciamento de STRESS.

Desenvolve em sua cidade, três projetos culturais, que arregimentam pessoas no mínimo uma vez por mês, no Espaço Cultural, Ciranda-Espaço de Cultura e Lazer:


  • O projeto “CRIANÇA FELIZ” , que organiza peças e espetáculos infantis de excelente qualidade, para crianças e adolescentes.
  •  O projeto“ É PRECISO CANTAR ” que incentiva a difusão da música saudável, e  possibilita também o espaço de reflexão  e interação entre amantes da Poesia e da Cultura do Verso, da Viola, do Repente e a comunidade, tão carente dessa saudável cultura. Um projeto que pretende apoiar e difundir da melhor forma, o melhor da Cultura Popular Nordestina.
  •  O projeto “ TERAPIA DO RISO “, que convida as pessoas para o riso e a descontração. Em qualquer cultura o riso chamado aberto, sem reserva, é um convite interessante, à alegria, à realização, à vitória e ao sucesso.

O riso extravasaa  energia positiva e sabemos que “A troca dessa energia entre as pessoas, harmoniza o ambiente e combate a poluição mental e espiritual”. RIR FAZ BEM, porque oriso é um convite à alegria, é um aceno à criança livre que vive dentro de cada um de nós.

Feliz de atuar em seu Torrão Natal, Graça Moura, afirma ser Psicóloga por Amor e Vocação. Sua identidade com a profissão que escolheu é tanta, que como ela mesma diz:“Minha atuação confunde-se com minha respiração.”

É Apaixonada pela Cultura Popular, pelas Letras e pela Poesia, praticamente desde criança.

Gosta de escrever e é membro da ALERP-Academia de Letras da Região de Picos.

Picos, 12 de setembro de 2020.

 

Patrono

HERCULANO MORAES DA SILVA FILHO

 

Jornalista dos mais brilhantes. Nasceu em São Raimundo Nonato, no dia 02 de maio de 1945.

Foi Ocupante da Cadeira nº 18 da Academia Piauiense de Letras 

Poeta, ensaísta, cronista, contista, romancista e crítico literário. Figura das mais destacadas e atuantes nos meios intelectuais do Estado. Jornalista dos mais brilhantes. Nasceu em São Raimundo Nonato – Estado do Piauí. Ocupou importantes cargos na Administração Piauiense, entre os quais: Secretário de Estado da Comunicação Social do Governo do Estado do Piauí. Foi Secretário de Estado da Comunicação Social do Governo do Piauí, Diretor da Casa Anísio Brito e do Theatro4 de Setembro e Assessor Especial do Gabinete do Governador. Foi Vereadorna Câmara Municipal de Teresina no período de 1971-1973.

Escritor autor de preciosas obras publicadas. Foi um dos intelectuais mais lidos no Estado.

Poeta, autor dos seguintes livros: Murmúrios ao Vento, 1965; Vozes Sem Eco, 1967; Meus Poemas Teus, 1968; Território Bendito, 1973; Seca, Enchente, Solidão, 1977; Pregão, 1978; Legendas, 1995; Oferendas, 1996. Romancista, escreveu: Fronteira de Liberdade. Ensaísta, é autor da Nova Literatura Piauiense, 1975; Visão Histórica da Literatura Piauiense, quatro edições; Fascículos de Literatura Piauiense, em que estuda: volume 1: Da Costa e Silva, volume 2: Assis Brasil; volume 3: Álvaro Pacheco; volume 4. Fontes Ibiapina; volume 5: O. G. Rego de Carvalho, Da Costa e Silva e Assis Brasil. É membro da Academia Piauiense de Letras, da Academia de Letras do Vale do Longá e da Academia de Letras do Médio Parnaíba. Fundador e primeiro presidente do Círculo Literário. Membro da União Brasileira de Escritores (seccional do Piauí e seccional de São Paulo). “Príncipe dos Poetas do Piauí” (1969). Homem de Ação (1982). Intelectual do Ano – prêmio Cabeça-de-Cuia -(1987)                                 Honrarias. Cidadão honorário das cidades: Teresina, Barras e Campo Maior. Comendador da Ordem do Mérito Renascença do Piauí. Medalha do Mérito Visconde da Parnaíba. Cidadão da Cultura Popular (Salvador-Bahia).

Vejamos, a seguir, duas poesias de muita sensibilidade e opulenta criatividade de Herculano Moraes:

CANTIGAS DE MINHA TERRA

Um dia nós exportamos Milhares de marruás
O gado manso tangido pelos sertões De vastos carnaubais
No lombilho do jumento Ou sobre os trilhos de aço
A cera de carnaúba Desenvolvia o progresso
Bendito tempo de glória… Dentro dos sacos de açúcar
O coco de babaçu teve parte na história…
Ciclo bendito da riqueza brasileira
Velho tempo de fartura contado por meus avós
– Pra nossos netos, Socorro, Que lembrança teremos nós?

(Território Bendito, 1973)

GRAVURA

Não escreverei teu nome na areia.
O vento varre as palavras
e elas nunca se perpetuarão.

Escrever teu nome no tronco de uma árvore?
eis o enigma desta vã filosofia.
Até que a morte nos separe pelo assassínio da ecologia.
Escrever teu nome nos granitos, no cimento, nas nuvens,
nos muros rabiscados,  talvez não seja a forma exata de te imortalizar.
Escreverei, teu nome sim
na folha indecifrável da memória, pois só assim este amor
sem preconceitos e limites ficará para a história.(Oferendas, 1996).

Herculano Moraes (1945-2018) era uma celebridade atuante em todo o Estado do Piauí.Sua morte repentina, deixou o estado cheio da mais profunda dor. Era Gente Finíssima. Um ser humano SINGULAR. Deixou em luto profundo, no dia 17de maio de 2018, o mundo das LETRAS e sobretudo o mundo da SENSIBILIDADE. Está com DEUS. Era do BEM!!!.
==========
O Rio de Minha Terra – Herculano Moraes
O rio de minha terra é um deus estranho. Ele tem braços, dentes, corpo, coração, muitas vezes homicida, foi ele quem levou o meu irmão. É muito calmo o rio de minha terra. Suas águas são feitas de argila e de mistérios. Nas solidões das noites enluaradas a maldição de Crispim desce sobre as águas encrespadas. O rio de minha terra é um deus estranho. Um dia ele deixou o monótono caminhar de corpo mole para subir as poucas rampas do seu cais. Foi conhecendo o movimento da cidade, a pobreza residente nas taperas marginais. Pois tão irado e tão potente fez-se o rio que todo um povo se juntou para enfrentá-lo. Mas ele prosseguiu indiferente, carregando no seu dorso bois e gente, até roçados de arroz e de feijão. Na sua obstinada e galopante caminhada, destruiu paredes, casas, barricadas, deixando no percurso mágoa e dor. Depois subiu os degraus da igreja santa e postou-se horas sob os pés do Criador. E desceu devagarinho, até deitar-se novamente no seu leito. Mas toda noite o seu olhar de rio fica boiando sob as luzes da cidade.
Poema de Herculano Moraes

Morreu aos 73 anos o jornalista Herculano Moraes vítima de câncer

(Cerca de 30 dias, entre o diagnóstico e a morte)

 

Cadeira 143: Janycley Fonseca

Janycley Fonseca

 

Sou Janycley da Penha Fonseca, professora do RN, pedagoga especialista em Tecnologia da educação pela PUC/RJ. Natural de Assú/RN conhecida como a terra dos Poetas e berço de grandes nomes  da cultura potiguar. Membro da ALAMP, da Associação Literária e Artística de Mulheres Potiguares. Três coletânea de poesias publicadas, e dois cordéis Gosto de cantar tocar violão e viajar pelo Brasil pilotando moto ou dirigindo carro. Espírito de liberdade e aventura com responsabilidade!

 

Patrono

Renato Caldas

 

O poeta Renato Caldas nasceu em Assu/RN, no dia 08 de outubro de 1902. Durante a II Guerra Mundial trabalhou em Parnamirim/RN. Depois trabalhou no DNOCS e no DER. Publicou os livros “Fulô do Mato”, “Poesias”, “Meu Rio Grande do Norte” e “Pé de Escada”. Faleceu em Assu no dia 26 de outubro de 1991.

Tinha ele a fama de boêmio e de notável improvisador. Pelo estilo rude e original dos seus versos, recebeu a alcunha de “O poeta das melodias selvagens”. Os seus versos abordam temas como a vida simples do homem do campo, a natureza, o amor e a beleza da mulher. Faz uso de uma linguagem rudimentar do povo sertanejo.
A exaltação à beleza e o desejo do homem simples, que ama e que sofre, são expressos em versos como:
Fulô do mato, Lagoa das moças, Enxurrada mardita, Reboliço entre outras tantas!

CADEIRA 142: Charles Melo

Charles Melo

 

Antônio Charles Melo Feijão nasceu na cidade de Groaíras-CE, no dia 14 de janeiro de 1993 e cresceu num sertãozinho chamado Gangorra onde vive até os dias atuais. É escritor, poeta e cordelista brasileiro, graduado em Administração pela FLATED ( Faculdade Latino Americana de Educação), é membro da UBE ( União Brasileira de Escritores) e autor de um livro poético intitulado: “Veredas Sertanejas” e vários cordéis.

 

Patrono

Pedro Bandeira

Pedro Bandeira Pereira de Caldas é considerado o “príncipe dos poetas populares do Nordeste”. Filho de Tobias Pereira de Caldas e da poetisa Maria Bandeira de França. Nasceu em sítio Riacho da Boa Vista em 1938 no município de Piranhas Paraíba. Recebeu em 2018 o título de Tesouro Vivo da Cultura do Estado ( Secult). Faleceu aos 82 anos dia 24 de agosto de 2020.