Cadeira 70: Geraldo Feitosa

 

 

 

Geraldo Feitosa da Silva, Casado, pai de 02 filhos e 02 netos, é o quarto membro de uma numerosa família, cujos genitores, João Feitosa e Adalgisa Feitosa, foram descendentes diretos de grupos de retirantes sertanejos fugitivos da sêca, que ainda no século passado, acabaram por se estabelecer em Chã de Alegria, uma pequena cidade da mata norte pernambucana. Nascido no município do Paudalho , em 16/06/1954, ficou cego com um ano e 8 meses de idade, em decorrência de acidente clínico.

Em razão do preconceito à época existente em relação às pessoas com deficiência visual, ele teve a sua escolarização bastante retardada. Apesar disto, porém, foi alfabetizado em casa por sua própria genitora, através de folhetos de literatura de cordel. Só depois dos 14 anos é que veio a ter acesso a escola formal, tendo iniciado sua vida acadêmica no Instituto dos Cegos Adalgisa Cunha em João Pessoa, PB, e posteriormente concluído com a graduação em Letras, (língua portuguesa), na Faculdade de Filosofia do Recife.

Irrequieto por natureza, teve ele uma trajetória de vida bastante diversificada: No campo profissional atuou como trabalhador braçal, vendedor ambulante, operário metalúrgico, programador de computador, analista de TIC, Professor Brailista e Professor de educação inclusiva. Na área dos esportes, ganhou medalhas como atleta de futsal, natação e atletismo; No campo socio-político, foi sindicalista e ativista do Movimento das pessoas com deficiência, tendo presidido a Associação Pernambucana de cegos, de cuja entidade foi sócio fundador.

No campo literário, já escreveu vários cordéis explorando temas diversificados, acaba de escrever o seu primeiro romance, intitulado “DAS TRALHAS ÀS TRILHAS”, e tem vários trabalhos acadêmicos escritos e publicados, inclusive em nível internacional.

Define-se como cidadão do mundo, Gosta de fazer e ouvir música, tomar um drink com os amigos, adora ler e escrever, encanta-se com as situações desafiadoras, aprecia colecionar amizades e incomoda-se particularmente com as práticas hipócritas e as injustiças de um modo geral.

Otimista por excelência, acredita na mudança atitudinal dos seres humanos, como principal insumo para o estabelecimento de uma nova ordem social no universo. Por tudo isso, defende o lema de que, “sonhar é necessário, lutar é fundamental, mas Conscientizar é imprescindível”.

15 comentários on “Cadeira 70: Geraldo Feitosa

  • Hosana Pereira disse:

    Professor Geraldo é um exemplo de que nunca devemos desistir de lutar por nós , por mais difíceis que as circunstancias pareçam a sempre um novo dia.

    Reply
  • Maria do Socorro disse:

    Professor Geraldo exemplo de persistência, determinação e garra. Falar do povo nordestino é fácil mas viver na pele o Nordeste tal como ele é e retratar essa realidade é só pra nordestino. O admiro como pessoa e acadêmico.

    Reply
  • Maria do Socorro disse:

    Professor Geraldo exemplo de persistência, dedicação e garra. Falar do povo nordestino é fácil mas viver na pele o Nordeste tal como ele é e retratar essa realidade é só pra nordestino. O admiro muito.

    Reply
  • Denise Rodrigues e Silva disse:

    Pessoa com uma história de vida incrível,um ser humano que é uma lição de vida. Parabéns pelo exemplo de vida que és para ás pessoas que tem a oportunidade de conviver com você.

    Reply
  • Mizael Morais Duque disse:

    Professor Geraldo um nordestino nato que tenta insessantemente consertar o mundo sozinho com um coracao que enxerga melhor que qualquer visao , eu queria ser pelo menos metade do que voce e´ !!

    Reply
  • Vilma Rubio Duque disse:

    Professor Geraldo , garra e dedicacao , poeta que encanta com seus cordeis . Exemplo de vida pra quem convive com ele. Sou sua fa !!!

    Reply
  • Vilma Rubio Duque disse:

    Professor Geraldo , garra e dedicacao , poeta que encanta com seus cordeis . Exemplo de vida pra quem convive com ele como eu que tive o prazer de conhece-lo. Sou sua fa !!!

    Reply
  • LUCIVANDO COELHO GUIMARÃES CORIOLANO disse:

    Meu amigo caceteiro cabra da peste. Quem fala aqui é o menino. Quero um cordel de presente.

    Reply

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você pode usar estes HTML tags e atributos: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>