Cadeira 98: Araquém Vasconcelos

Araquém de Vasconcelos

 

Francisco Araquém de Vasconcelos, nasceu no dia 02 de novembro de 1970; em Alvaçã – Santana do Acaraú/CE. Filho de José Alfeu de Vasconcelos e Rita de Cássia Sabino.

Estudou na Escola São José – Alecrim, 1º Grau na Escola Santo Antônio – Salgadinho, 2º Grau no Tempo de Avançar – Colégio Nazaré Severiano , todas as instituições em Santana do Acaraú/CE e Iniciou o curso de letras da UFC na modalidade semipresencial conseguido pela nota no ENEM;

Funcionário público concursado da prefeitura municipal de Santana do Acaraú/CE estando atualmente no cargo de Coordenador Municipal de Proteção e Defesa Civl;

É autor de várias poesias nos seguimentos cordel, sextilha, quadras, oitavas, decassílabos e sonetos com previsão de lançamento de coletânea de poesias tendo como título ”Poesia com casca e nós”.

 

Patrono

Padre Antônio Tomás

 

Padre Antônio Tomás, nasceu na cidade de Acaraú, Ceará, a 14 de setembro de 1868. Filho do professor Gil Tomás Lourenço e dona Francisca Laurinda da Frota. Cursou latim e francês em Sobral, e concluiu seus estudos no Seminário de Fortaleza,[3] onde foi ordenado sacerdote, em 1891.

Esteve longos anos a serviço da Igreja Católica, em paróquias do interior cearense, notadamente como vigário de sua terra natal, levando vida modesta e apagada, dedicado a sua missão, escrevendo versos e cuidando de sua paróquia. Exerceu o paroquiato durante trinta anos, tendo sido vigário de Trairi e de Acaraú, de 1892 a 1924, quando por motivo de saúde, deixou o exercício do múnus paroquial, a que dedicara todas as reservas da sua atividade apostólica.

Iniciou-se na publicação de seus sonetos, no ano de 1901, quando o Almanaque do Ceará, daquele ano, publicou o soneto Post-Laborem. Escreveu dezenas de sonetos que eram levados à imprensa pelos amigos, já que na sua humildade e timidez procurava fugir à publicidade. Recebeu, entretanto, ainda em vida, consagração popular, sendo eleito, Príncipe dos Poetas Cearenses, num pleito realizado pela revista Ceará Ilustrado, em 1925. Está classificado entre os maiores sonetistas brasileiros, gênero a que mais se dedicou, escrevendo também composições de feição e ritmos variados, caracterizando-se por sua independência em relação a qualquer movimento ou escola literária.

Foi membro da Academia Cearense de Letras e, em 1919, eleito sócio do Instituto do Ceará. Faleceu em Fortaleza, a 16 de julho de 1941, sendo sepultado no dia seguinte, na Igreja Matriz da Cidade de Santana do Acaraú, Ceará.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você pode usar estes HTML tags e atributos: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>